quinta-feira, 24 de março de 2016

"No encontro com Deus"



No encontro com Deus poderei me redimir...
Pois nessa terra mortal aonde vago, nada mais importa...
Tantos desejos, tantos sonhos...
E nenhum momento foi prático para me salvar...
Entre estruturas abaladas...
A solidão corrompe os sentimentos...
E sinto sangrar na sua oração, a falha que lhe sufoca por dentro...
Onde os instantes finais se tornam os mais doloridos...
Pedindo que a ferida aberta, estanque sua dor...
Recobrindo sua esperança com uma nova cura...
Percebendo que sua experiência não foi relevante agora...
Até o surto do gozador...
Até sentir-se desprotegido...
Até perceberes que o momento foi duro com você...
Deixe fluir o envolvimento...
Enquanto houver maré nesse mar de amargura...
Oscilações vibraram a seu favor...
E pensar que fostes inseguro esse tempo todo...
E mesmo assim superou a esse medo...
Ao espaço e tempo...
Onde todos lhe observavam e riam de você...
Nesta noite saiba como me sinto...
Pois nas demais será com você...
E nada é demais...
Nada é perfeito...
Nada é por acaso...
E em meio ao conhecimento da vida erramos também...
Somos falhas humanas...
Que são observadas e julgadas por Deus...
E nenhum momento é ruim para se desculpar...
Perdoar...
Refletir...
O coração é um só...
E comentarei com ele isso também...
Estou no meio do nada...
Procurando um melhor momento para esperar...
Trafegar no descaso e esquecer como foram as lembranças que eu vivi...
Sem pedir chances, implorar recíprocos sentimentos...
A vida é dura demais para quem não sabe se adaptar...
Seguindo o fluxo...
Manobrando entre esquivas e quedas...
Ouço o consolo de quem mais chorou...
E seguimos nos labirintos da vida...
Ludibriando, conquistando e decepcionando emoções...
Até o momento do juízo final...
Até o encontro perfeito para pedir redenção.

Marcos Gomes, 25/03/2016.

segunda-feira, 2 de março de 2015

"ENTRE TODOS..."



Simples sonho funeral...
É fácil pra mim compreendê-lo...
Julgo-me como uma falha no destino...
Onde primatas não sabem o meu erro...
Não conhecem o caminho por onde fujo...
E não reconhecem que sou normal como eles...
Entre todos...
No calar dos meus pensamentos...
Calculo meus passos no imaginário dos meus sonhos...
Que me leva e me traz de volta todos os dias...
Que é de onde acho que não devo sair...
Desabafar...
Tornar-me fraco...
Pessoas enxergam fraquezas nas suas tristezas...
E entre todos, sempre haverá uma visão diferente a qual poderá confiar...
E tenho certeza que essa confiança não será a minha...
Pois procurei respostas para isso e não achei...
Na frustrante paixão...
Na consolidação do amor à dor...
É difícil saber em que e quem confiar...
Fantasmas me levam...
Na noite escura revelam-se até mim...
Entram em meu corpo e obrigam-me a exorcizar demônios...
Mostram-me os caminhos, nos quais já caminhei...
Vejo os cenários, pessoas, pesadelos...
E entre todos, vejo quem realmente são!
E me presto a admitir que não quero mais fugir...
Nesse labirinto sombrio...
Que mostra-me o cenário de minha lápide...
Na angustia de meu ser!
Poderia ser um controlável artistas, se tivesse as respostas para minha atuação...
Sou um ser pensante, na característica patológica de uma mente fraca e manipuladora...
Queria ser real nos meus argumentos...
Queria poder explicar e lhe traduzir o que realmente eu sinto...
Mais o fato é que não existo...
Escondo-me entre paredes e os demais que renego...
Peco minha confiança no obscuro de meu prazer...
E não consigo saber amar...
Não consigo me envolver...
Seria um simples dizer: “Adeus!”...
Seria mais uma simples "fuga"...
Teria perdido eu a fé!?
Entre todos queria ser o mais forte...
Quanto mais conhecemos quem somos...
Mais vamos querer saber o que nos faz mover...
Entre a esperança à fé, no amor à ternura, na presença de DEUS, agora eu consigo me sentir.

Marcos Gomes, 02/03/2015.

domingo, 28 de setembro de 2014

“Forma que lhe vejo”



Entenda a forma que lhe enxergo...
Sonhos nos fazem reais quando desejamos acreditar...
É uma devolução ao tempo...
Que passou e se perdeu nos passos de quem esqueceu...
E eu aprendi a viver quando causei minha própria queda...
Em um desequilíbrio que me fez sentir o que é superação...
Você é real no mundo que crio...
Você é a felicidade camuflada na tristeza...
Sem criticas ou desafetos...
Sem perdão ou condição de desabafo...
Sentirei intenso meu coração quando perceber...
Que essas duvidas sentidas não são reais...
Eram decepções que eu orei para esquecer...
E agora vemos tudo tão desigual...
Paralelos aos sentimentos...
E as vidas que perdemos...
Desejo paz ou traga-me prazer...
Sinto-me tão distante...
É a canção presente mais uma vez...
Reflito minha posição no mundo...
E vejo que as coisas não estão nada bem...
Sinto a falta de alguém, quando amei...
Sinto a falta de um conselho verdadeiro, quando errei...
Sinto a falta de seu abraço tranquilo, quando me sinto sozinho...
E quando percebo, as lágrimas que escorrem são pra você...
Como foi prazeroso senti-la...
Agora, apenas reminiscência no coração...
Onde todos os dias procuro preservar...
Abraçar...
Nas memorias que tornam minhas alegrias mais vividas...
Acreditando nos sentimentos que um dia trazem de volta...
Minha especial amiga...
Grande parceria...
Somos a solidão que não queremos...
Somos o amor que compreendemos...
Somos uma razão para não perdermos a fé...
Agora retribua esse momento...
Destrua o fantasma vagando em sua mente...
Aprenderá a controlar suas hesitações...
Onde todos nós temos medo de sofrer...
Saiba que nesse momento não pode ser real...
E não busque nas soluções suas incertezas...
Sinta sua fé traduzindo revelações a sua alma...
E apague-me de suas conclusões...
Precipitados vivemos as adversidades...
Tristezas nos tiram da conquista da razão...
Estou perto de você, veja como me enxergar na escuridão.

Marcos Gomes, 28/09/2014.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

"Magos da Canção"




Magos da canção ouviram os seus lamentos...
Avisaram-lhe quais eram os motivos...
Agora, tudo parece tragédia nesse momento funeral...
Portanto, não perca mais tempo...
Abaixo disso tudo sobrevivem outras chances...
E poderá reencontrar sua vida e seguir em frente...
Dedicação vai lhe fazer sonhar...
Os maus pensamentos vivem para derrotar...
E você não poderá cair novamente nesses erros...
Vontade de curar essa dor, me cria ânsia...
Vontade de sentir minhas memórias de infância, também...
É bom relembrar daquele cenário frio...
Onde tudo que era real, cresceu duramente com você...
E hoje percebes, como poderíamos ter feito diferente...
Sem dificuldades, até a canção trazer-lhe até você...
Numa paz que se enquadraria como celestial...
Mais que momentaneamente são assombradas por demônios...
Que lhe perturbam em momentos de demência sentimental...
Questionando repentinamente da sua vontade de morrer...
Até normalmente alguém aparecer...
E lhe mostrar que existem coisas importantes para lhe fazer crescer...
Até a canção se partir...
Como seus sentimentos doloridos...
Numa embriaguez venenosa...
Que partem do prolixo estimulo viciante...
Da mais dura e incompreendida forma de prazer...
Idílica aos poetas alusivos...
Iconoclasta aos mais diversos seguidores da dor...
Que aplaudem sua inocência prévia...
Se instalando dentro de você...
Até operar seus egoísmos...
E lembrar que você é pecador desde que se serviu a este mundo doentio...
É fácil refletir os erros alheios...
É muito mais fácil apontar um dedo até você...
Que seria culpado também?!
Forças ocultas vislumbram nossas indecisões...
Nossas incoerências mais letais...
E passo a passo relembrarei o que conversamos...
Como fomos caminhando até esse nobre fim...
Farei disso nosso plano de demissão...
Na decepção que lhe apura...
Tentar entender coisas que não devemos entender...
É da natureza de cada um...
Saiba que o momento de hoje poderá progredir...
Também saiba da hora de parar de tentar...
A sorte é uma grande amiga quando perseveramos...
Mais quando nada dar certo, torna-se um azar psicológico presente...
Mostre-me a diferença...
Quem sabe nesse intervalo, não descubro um erro seu.

Marcos Gomes 13/07/2013.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

"Conceitos que Mudam"


Perante sua alma...
Seus momentos parecem não perder seu fim...
Seu controle é controlável...
E nada e nem ninguém poderá derrotá-lo...
Parece ser infinito esse longo caminho...
Mais meus passos tem um fim...
Você foi desconfortável em algum momento na forma do amor...
Mais minhas decepções amadureceram...
E em algum lugar, em algum momento...
Soam os vislumbres daquela dor...
E precisamos acordar...
Não temeremos mais nossos sentimentos...
Pois os que criastes em mim, tornaram-se mais fortes...
E você talvez não esteja preparado para recebê-los...
Pois não vencestes a minha dor...
E todos sabemos que não estamos preparados...
Os vínculos e vícios não se sustentam...
E os mortais somam-se entre nós...
Dividem-nos entre fortalezas...
Que defendem nossos orgulhos e mostram nossas honras...
E somos capazes de desapontá-los?
Nada mais gera minha dúvida...
Nada mais faz eu me abalar...
As portas que se abriram são outras...
E as que se fecham, se fecham em meu passado...
E ninguém nunca saberá...
Como se perder a esperança, se não viver!
Como enganar quem nos engana, se não indagar!
Como morrer em sentimentos e permanecer vivo, se não se entristecer!
Como sustentar tanta dor e não dizer o que senti, se desabafar!
Como você se senti?
É como um ser estranho...
Se abrir as suas lembranças, o tornar fraco!
E quando se fechar, parece entrar em parafuso!
É difícil ser nobre quando queremos...
Estamos totalmente aptos a felicidade, a desilusão...
Somo essenciais aos desejos da carne, quando queremos algo...
E tão hipócritas mortais, depois que conseguimos...
E quando erramos...
A vida deixa um comentário que ensina...
Mais se não estiver apto a aprender...
Ela o perturbar...
E quando perceberes tudo isso, pode ser tarde...
Saberá da verdadeira verdade...
Sem poder dizer-me como se sentiu...
Trazer-lhe de volta o deixaria doentio...
Pois meus conceitos sempre mudarão.

Marcos Gomes, 12/11/2012.



quinta-feira, 1 de março de 2012

"Alguém para Ouvir"


Eu invento coisas...
Onde tal fato torna-se real...
Limpar sujeiras para transparecer limpo...
Não é o ideal que desejei para sonhar...
E sem significado algum, continuo vivendo...
Sem momento algum, é fácil saber quem eu não sou...
Sentimentos estúpidos...
É, é assim que vivem alguns dentro de si...
Sem nenhum movimento abusado...
Onde qualquer passo em falso, possam surgir revelações...
Que te Traduzem...
Lhe seduzem...
Para sofrer...
Sem sentir o perdão...
Onde fracos são fortes...
Pois sustentam tanta sujeira enclausurada...
Entre os espertos da dor!
Que acham que nunca sentiram essa devolução...
E quem a sentir, sempre irá superar sua cicatrização...
Refletindo entre sujeiras...
Mesmo sabendo o que nos torna fortes, cria a dor...
Servindo-se no desejo insano...
Onde as palavras fortes lapidam a escuta...
Desejando-as nunca mais contê-las...
Pois amar para sofrer, não é o que desejei para você!
E ninguém nunca deseja...
Mas, um erro já foi cometido...
E Você?
Que aprecia tanta essa luta...
Sabendo de uma verdade sem amor...
Vivido em sua dor...
Algo passageiro e tristonho...
Que ergueu e desabou seu alicerce...
Por onde o tempo passou e ninguém percebeu!
E acordar no passado...
É um desfruto que precisa estar diluído...
Onde tal fato torna-se seu mais nobre Karma...
E a situação e sensação de perdê-lo é a mesma...
Que calcula todo esse seu tempo perdido...
Parecendo-me que ainda, perde tempo demais...
Guardando toda essa sujeira melancólica ...
Que ativa sua depressão...
E os Encontros que eram para ser somente encontros...
É seu passado amargo que passou a re-existir...
Chegou o tempo de acordar...
Pois nem sempre haverá alguém para ouvi-lo.

Marcos Gomes, 01/03/2012.

sábado, 31 de dezembro de 2011

"Antes de Acontecer"


Antes de acontecer...
Lembre das coisas que foram feitas...
E não olhe novamente para trás!
Lembre das memórias que serão apagadas...
E não tente vivê-las novamente!
E antes de olhar ao seu redor, saiba o que se foi com você...
Sentimentos puros sobrevivem...
Sem razão de absorvê-los...
Para fazê-los acreditar...
Nas várias formas que não tentastes entender...
Na melancolia exercida...
Na dor traumatizante...
No suspiro ofegante...
Na vontade vencer!
Sua dor, revolta delirante...
Que afogou-lhe a magoas...
E o deixou sozinho, sem mais ninguém...
E como faço para ser diferente?
Vocês não despertam no amanhecer!
Não fazem parte da surpresa...
Não trazem-me a nenhum prazer...
Enquanto aguado algum reconhecimento...
Enquanto me orgulho por vocês!
Me divido entre em que devo acreditar...
Em pensamentos malditos controlando minha mente...
Assassinando minha benevolência...
De torna-me um homem bom para você!
Queria apenas ser livre!
Queria apenas de volta, ter meus bons motivos!
Para vivê-los...
Entusiasmados...
Sem razão para esquecê-los...
Mesmo antes de acontecer...
Mesmo antes de me surpreender...
Afirmando que a vida me surpreendeu...
Afirmando que não fui honesto quando amei...
Afirmando que esquecer, não foi a saída...
E nunca será!
Antes de acontecer!
Antes de saber quem você é!
Antes de impactar o quem mais lhe ama!
Surpreendentemente o tempo me evoluiu...
E me tornei um ser desiludido...
E saberei dizer quando me magoar...
Saberei dizer quando enlouquecer...
Antes de acontecer.

Marcos Gomes, 31/12/2011.